Pesquisar este blog

domingo, 27 de julho de 2014

UM BRINQUEDO CHARMOSO CHAMADO "AVÔ".




      A coisa que o neto mais gosta é de passar as mãos nos cabelos dos avós, principalmente quando são brancos. Avô de verdade (e avó também) se oferece para dar o colo, nunca briga, pelo menos seriamente, e nunca cansa de dizer que "te amo muito", todo dia, todo mês e todo ano. 






NETO NO DIA DOS AVÓS.









Eu e a Tetê, no dia dos avós (26/7), com nosso neto Antônio, na festa comemorativa da data.   


Nesta foto,  meus netos Maria Luiza, João Pedro, Antônio e João Silvério.

NO CAFÉ A COLÔMBIA JOGA MELHOR QUE O BRASIL.




      O café é a segunda bebida mais consumida no mundo, perdendo somente para a água, sendo reconhecido mundialmente que o café colombiano tem a mais alta qualidade e sabor mais marcante devido à sua geografia. Aliás, quando o café brasileiro chega aos Estados Unidos, vira café colombiano, porque o americano não tem o hábito de tomar o café brasileiro. 

O BRASIL TEM GARANTIDO O FUTURO DA SUA ECONOMIA



IMO_2014


O Brasil conquistou uma medalha de ouro e três de prata na 4ª Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa; o que significa que o futuro da economia brasileira está garantido com essa geração, porque a atual equipe do Governo não entende de economia e muito menos de matemática.

DESFAZENDO UM EQUÍVOCO ARÁBICO



     Ao contrário do que muitos supõem, os algarismos arábicos não foram criados pelos árabes, nem pelos indianos, mas pela civilização que habitava o Vale do Indo, onde se localiza, atualmente, o Paquistão, de onde foram trazidos para o mundo ocidental, sendo esse sistema considerado, até hoje, um dos avanços mais significativos da Matemática. 

SE O PROCESSO É UM JOGO, OS ADVOGADOS DEVEM ENTENDER BEM DO ASSUNTO.



A 26 de outubro de 1863, o advogado inglês, Ebenezer Morley, conseguiu que os representantes de uma dúzia de equipes que e praticavam o futebol ainda incipiente em vários bairros londrinos, se reuniram numa taverna (bar) em Londres, em que entraram num acordo para estabelecer algumas regras de futebol; redigir o primeiro regulamento sobre esse esporte, tendo como modelo o jogo de Rugby e a regulamentação universitária de 1848; e fundar a primeira associação Inglesa, a Football Association  [FA].
Embora Morley tenha escrito apenas treze regras, o acordo foi feito após seis reuniões sobre o assunto. 
A principal novidade na relação do futebol com o Rugby, foi proibir que os jogadores de futebol usassem as mãos --, o que era permitido no Rugby --, com exceção do goleiro [Goalkeeper]. 
As outras regras davam ênfase às dimensões do campo, mudando o jogo de lado no segundo tempo e o direito da equipe que sofria um gol, de reiniciar o jogo a partir da bola no centro do gramado. 
Aplicando esse padrão, as equipes do Barnes e do Richmond, ambos da Inglaterra, jogaram a primeira partida nos campos de Limes Field, em 19 de dezembro de 1863, que acabou num zero a zero. 
Curiosamente e coincidentemente, seis décadas depois, foi um outro advogado, desta feita o francês Jules Rimet que teve a iniciativa de criar a Copa do Mundo. 
______________________________________________________________

NOTA - O Rugby é um esporte coletivo originário também da Inglaterra, de intenso contato físico, e também um dos esportes mais praticados no mundo.

ENTENDA O SEU CÉREBRO





(continuação)

Nosso cérebro queima energia: ele pode representar apenas 2% do peso do nosso corpo, mas usa 20% do oxigênio do nosso sangue e 25% dos açúcares que circulam no organismo. A hipótese aceita para os cientistas é que a evolução do cérebro foi causada por mudanças climáticas, competição social e uma dieta baseada em carne (já que os nossos ancestrais precisavam caçar seu alimento).

Rugas nos tornam mais espertos: qual é o segredo da inteligência dos humanos? Acredite ou não, a resposta pode ser algo tão improvável quanto rugas! Mas não estamos falando dos pés de galinha de sua tia e sim de fissuras cerebrais chamadas de sulcos. Elas ficam no córtex cerebral – região que contém cerca de 100 bilhões de neurônios. Como o cérebro é enrugado ele tem mais superfície em um espaço menor, o que gera a possibilidade de termos mais neurônios mesmo em uma área menor.

A maioria das células do cérebro não é de neurônios: aquela história de que usamos apenas 10% da capacidade de nosso cérebro é balela, mas estudos mostram que 10% é o número de células do órgão que são neurônios. Os outros 90% são de glia (que significa cola, em grego). A glia seria um material que une os neurônios, mas estudos recentes mostram que ela pode ser muito mais – elas podem modular o crescimento e o funcionamento das sinapses, além de oferecer proteção para elas.

(continua na próxima semana)

EXERCITANDO UMA VOCAÇÃO



(continuação)

A minha passagem pelo escritório-modelo da Faculdade de Direito marcou a minha trajetória, além de me dar a oportunidade de ampliar minha sensibilidade social, já que este escritório atendia apenas pessoas carentes, prestando-lhes a assistência judiciária gratuita.
Lembro-me de que, certa vez, atendi a uma senhora grávida de quase nove meses, que me disse das suas dificuldades em vir ao escritório, porque tinha que tomar três ônibus, e, não tendo dinheiro para tanto, andava um trecho a pé, para que o dinheiro desse para as passagens de ida e volta.
Apesar das minhas carências, arranjei para ela o dinheiro das passagens, para que não tivesse que andar carregando aquela enorme barriga; e com isso reduzi feliz a minha porção de sanduíches de final de semana.
Quando verifiquei que o meu futuro dependia exclusivamente de mim, nunca mais pedi ajuda a ninguém, e passei a fazer todos os concursos que me apareciam pela frente, mesmo que não pretendesse tomar posse; pois precisava de títulos para competir em eventuais provas de títulos nos concursos mais importantes que viesse a fazer.

O meu trabalho como estagiário e, depois, como orientador forense do Escritório-Modelo, permitiu-me fazer grandes amizades em todos os níveis, sendo dessa época a minha amizade com o então juiz Carlos Velloso – depois ministro do Supremo Tribunal Federal – que se dava ao trabalho de conversar comigo sobre assuntos jurídicos e sobre os concursos que eu pretendia fazer, pois ele acompanhara de perto a minha vida depois da morte do meu pai. 

(continua na próxima semanda)
________________________________________________________

Trecho do livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial), encontrável nas livrarias SARAIVA e TRAVESSA, e também em www.livrariasaraiva.com.br, www.travessa.com.br, www.estantevirtual.com.br, em www.bondfaro.com.br e em outras livrarias do País. 

domingo, 13 de julho de 2014

PARTICIPE DA ENQUETE SOBRE OS TRIBUNAIS BRASILEIROS


VOTE E MANIFESTE A SUA OPINIÃO:

"Um quinto das vagas de desembargadores e ministros, nos tribunais, é ocupada por membros do Ministério Público".

Você confia neles?

O local da votação está à direita do blog, logo no início.

QUANDO O PODER É INJUSTO, OU SERIA A "JUSTIÇA"?

A TRAMA DIABÓLICA

"Revela-se intrigante o ponto comum que faz a interseção de minha trajetória com a de meu pai, Heli Mesquita: ambos fomos vítimas de uma trama diabólica que tinha como objetivo a nossa destruição física ou moral.
No início de minha adolescência, em 1964, estourou o movimento militar, que alguns chamaram de "revolução". Na época, meu pai, jornalista e militante político por 23 anos, Heli Mesquita, era vereador em Goiânia pela União Democrática Nacional (UDN), a aguerrida sigla a que também pertencia o brigadeiro Eduardo Gomes.
Espírito crítico, combativo, estava à frente do programa "O Mundo em Sua Casa", veiculado pela Radio Brasil Central, com o slogan "A cada volta do ponteiro, notícias do mundo inteiro". Algum tempo depois, Heli Mesquita comandaria o "Em Primeira Mão", na TV Goiânia, o primeiro programa político da televisão em Goiás, levado ao ar ao vivo. A página eletrônica tinha como slogan um desafio: "Essas notícias podem ser discutidas, debatidas, mas jamais desmentidas".
O jornalista sentava-se em uma poltrona em frente à câmera -- não havia o ponto eletrônico acoplado à câmera em que se exibe o texto a ser lido em cena [o prompter], como nos dias atuais. O amigo e colega Baltazar de Castro soltava o título de uma notícia e Heli apresentava o texto com desenvoltura, em um português impecável, com seu vozeirão de locutor. Apesar da improvisação, não cometia os deslizes, as hesitações e gagueiras de certos apresentadores de hoje."
(continua na próxima semana)
__________________________________________________________________

Trecho do livro  "QUANDO O PODER É INJUSTO" (Editora Kelps), de autoria de Eládio Augusto Amorim Mesquita, que foi também uma das vítimas da "Justiça", e conta seu drama nesse livro, para não deixar impune os seus algozes.

FAMÍLIA CARREIRA ALVIM, CABRAL E MACEDO SOARES NO STAND DA SONY NO ATLÂNTICO SUL

Stand montado pela SONY no Condomínio Atlântico Sul, na Barra da Tijuca, para a partida
 final da Copa do Mundo de 2014
Carreira Alvim no stand da SONY
Silvério Júnior, João Silvério e João Pedro no stand da SONY 
Luciana Carreira Alvim Cabral e João Silvério no stand da SONY.
A família Carreira Alvim e Macedo Soares no stand da SONY.
Carreira Alvim, sua filha Bianca e os netos no stand da SONY.


      O livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial) é um relato real de como um desembargador federal pode ser vítima de três instituições nacionais, as quais se uniram para impedir que ele chegasse à Presidência do Tribunal Regional Federal da Segunda Região. 
      Tudo começou com a Polícia Federal, sob o comando de ÉLZIO VICENTE DA SILVA,  fazendo interceptações telefônicas e grampos no Gabinete no Tribunal, por autorização do então ministro e Vice-Presidente do Supremo Tribunal Federal, CEZAR PELUSO, com a colaboração do então Procurador Geral da República, ANTÔNIO FERNANDO DE SOUZA. 
       A Polícia Federal usou as conversas mantidas com terceiros no exercício da minha função, que nada tinham de incriminadoras, e "montou" uma única frase, forjando o que nunca existiu, com base na qual o então procurador geral da República me denunciou, e o então Vice-Presidente do STF, que tinha autorizado as gravações, recebeu contra mim uma denúncia "sem pé nem cabeça", e que, para ter um mínimo de credibilidade, "o tempo teria que ter corrido pra trás".
        Pelo que não fiz, acabei aposentado compulsoriamente, sem ter a oportunidade de defesa, porque o ministro GILSON DIPP, relator do procedimento administrativo no Conselho Nacional de Justiça não ouviu uma única testemunha sequer para certificar-se do que ele considerou existir, mas que também não passou de "montagem" feita pela Polícia Federal.
        Por um crime que nunca existiu, estou pagando há mais de (7) anos, porque o processo anda a passos de cágado, atualmente no Superior Tribunal de Justiça.
        Sabem por quê? Porque os autos são uma evidência de como as instituições (Polícia Federal, Ministério Público e Justiça) funcionam pelo avesso, cometendo erros imperdoáveis e irreparáveis. Como ao final deverá ser declarado que os fatos imputados nunca existiram, porque foram montados pela Polícia Federal, e que nada fiz do que dizem que fiz, espera a Justiça que aconteça comigo o que aconteceu com o Desembargador Federal Ricardo Regueira, ou seja, que eu morra, porque assim extingue-se a punibilidade, e os autos do processo vão para os arquivos da "Justiça", sepultando a sua irresponsabilidade.
        Para que a sujeira não seja empurrada para debaixo dos tapetes da "Justiça", escrevi esse livro "OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO" (Geração Editorial), onde desnudo toda a verdade; verdade que, até agora, não foi contestada por nenhum dos meus algozes, e nem mesmo pelo Supremo Tribunal Federal, que viabilizou toda a trama contra mim.
       A Justiça não deveria funcionar assim, mas, infelizmente, é assim que ela funciona.  
       Cuidado com a Justiça porque ela é como uma cascavel, que pica o calcanhar até dos seus próprios juízes.
       Este livro está sendo vendido na versão E-book, podendo ser comprado online em www.livrariasaraiva.com.br, cujo site noticia que mais de 83% dos leitores estão comprando esse livro. 
       

CUIDADO COM A SUA CABEÇA




     A NASA confirmou que a nave Voyager, lançada com a missão de sair do sistema solar em 1977, está cada vez mais perto do seu objetivo. Desde 2012, a sonda foi atingida três vezes pelo que os astrônomos chamam de "tsunamis" solares, que nada mais é do que ondas de choque causadas por erupções solares violentas.
     Um último tsunami solar foi registrado pela NASA, e agora a Agência acredita que a Voyager é a primeira nave a viajar para o que é conhecido como espaço interestelar, uma área fora do alcance da heliosfera.
     A região do espaço interestelar é constituída de plasma muito mais denso, e é pelo reconhecimento desse plasma que a Agência Espacial acredita que, finalmente, depois, de 37 anos de viagem, a nave possa estar mais próxima de seu objetivo: sair do sistema solar.
       A Voyager está a 11 bilhões de quilômetros do nosso Planeta e a mais de 5 bilhões de quilômetros à frente de Plutão.
       Antes de sair, completamente, do sistema solar, a nave deverá atravessar ainda um anel de cometas.

ENTENDA O SEU CÉREBRO


Uma coisa estranha é que nosso cérebro falha em entender o funcionamento dele mesmo! Desde o tempo dos egípcios tentamos entender como esse órgão misterioso opera e buscamos saber o que há, afinal, entre nossas orelhas.
 O cérebro humano é enorme: parece estranho dizer isso quando estamos tão acostumados com o tamanho de nossas cabeças. O peso médio de um cérebro adulto é de 1,4 quilos. Alguns neurocirurgiões descrevem a textura dele como “pasta de dente”. Mas não é uma analogia muito exata, já que o cérebro não se espalha como pasta de dente. Uma comparação mais cabível seria com tofú (queijo de soja). Ainda não está encantado com a descrição? Então saiba que, se algum dia você resolver colocar um cérebro no liquidificador quase irá conseguir preencher uma garrafa de refrigerante de dois litros com o conteúdo.

Mas os cérebros estão diminuindo: mas não fique convencido por conseguir encher uma garrafa de Coca-cola com seu cérebro. Os humanos de cinco mil anos atrás possuíam ainda mais massa cinzenta. Arqueólogos sabem que os cérebros “antigos” eram 10% maiores baseados em “múmias” que eles encontram ao redor do mundo. Ainda não se sabe por que os cérebros estão encolhendo, mas alguns teorizam que é uma evolução para que fiquem mais eficientes. De qualquer forma, o tamanho do cérebro não é documento – segundo pesquisadores, o tamanho não é proporcional à inteligência.
(continua na próxima semana)

O QUE A OAB ACHA DISSO?


Depois de adiar a aposentadoria do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa, decidiu tirar férias entre os dias 14 e 31 de julho. O período de folga coincide com o recesso da mais alta Corte do País, que ficará nas mãos do vice-presidente, o ministro Ricardo Lewandowski.
Na última segunda-feira (7), Barbosa prorrogou seu temo de permanência no Supremo até dia 6 de agosto -- uma quarta-feira. Barbosa deixaria o STF nesta semana. Ele já havia enviado na semana passada ao Poder Executivo toda a documentação para requerer o benefício. 
Segundo Barbosa, a decisão foi tomada para garantir uma transição para a gestão do vice-presidente do Tribunal, Ricardo Lewandowski.
         O ministro considerou inadequada a mudança durante o recesso.       

LIÇÃO AO BRASIL TAMBÉM FORA DE CAMPO





       A seleção da Alemanha ficou horrorizada com as estradas brasileiras, mal feitas, esburacadas, enfim, de péssima qualidade, e resolveu construir – no Brasil – sua própria rodovia, que ligava a concentração da seleção até o estádio onde haveriam dos treinos. 
Para os brasileiros, o projeto era bastante ousado, mas para os alemães era uma simples "obrazinha" de emergência para salvar a seleção alemã do sufoco durante a Copa do Mundo. 
Diferente de tantas outras, esta obra sim, ficou pronta antes do inicio do mundial, como garantiram os dirigentes da seleção da Alemanha. 
Por essa, e outras, a Alemanha é a Campeã do Mundo de Futebol, porque joga bola em campo e fora dela, até no estrangeiro.

QUEM É O DESEMBARGADOR CARREIRA ALVIM


(continuação)
________________________________________________________

Eu me dispus a fazer o curso de Direito por conta das injustiças que sofrera ainda criança, e o meu desejo era um dia ser um juiz e poder fazer a justiça que, desde então, trazia na minha alma.
Tive uma grande decepção na minha vida, que, bem cedo, mostrou-me que viver era bem mais difícil do que me parecia, e que eu precisava ser cauteloso na minha caminhada, ensinamento que, se tivesse aprendido, teria talvez me poupado do furacão que se abateu sobre mim.
Sendo o meu pai um político, a nossa casa era frequentada por inúmeros deles, o que me passava certa segurança, porque eu supunha que pudesse contar com a ajuda desses “amigos” em qualquer eventualidade.
Estava equivocado, pois, além de todos nos virarem as costas depois da morte do meu pai, que já não lhes rendia votos, um deles sequer nos recebeu na sua casa, quando eu e minha mãe o procuramos na esperança de me ajudar a conseguir um emprego.

Essa decepção me mostrou que a vida era uma batalha, e que eu só teria chance de vencer a custa do meu próprio esforço, pelo que passei a estudar com afinco, para terminar o meu curso de Direito e fazer um concurso público; e foi isso que fiz. 

(continua na próxima semana)
_________________________________________________________

Trecho do livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial), encontrável nas livrarias SARAIVA e TRAVESSA, e também em www.livrariasaraiva.com.br, www.travessa.com.br, www.estantevirtual.com.br, em www.bondfaro.com.br e em outras livrarias do País.