Pesquisar este blog

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

PÉROLAS DE MINISTRO E EX-MINISTRO DA JUSTIÇA.

    1. O atual ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo diz que "prefere a morte a cumprir pena no sistema brasileiro".

    NOTA: O normal seria que, na condição de ministro da Justiça, buscasse melhorar o sistema penitenciário brasileiro.

    2. O ex-ministro da Justiça, Tarso Genro, diz que "o vazamento de informações sob segredo de justiça é 'natural' " (ISTO É, de 29.7.09).

    NOTA: O natural seria que, na condição de ministro da Justiça, apurasse e punisse os vazamentos.

JAMAIS DESISTA DE SUA LUTA, PORQUANTO POUCOS TÊM O SEU VALOR MORAL E INTELECTUAL.



     Nobre e culto professor,

    Sempre fui leitor assiduo de todas as suas obras jurídicas, embora não tenha tido o privilégio de ser seu aluno e nem, tampouco, de ter algum processo sob sua direção. Só lamento por isso!
    Dificilmetne deixo de consultar suas valiosas obras ao redigir meus despretensiosos arrazoados, principalmente quando se trata de Processo Civil.
    O senhor, todos nós sabemos, tem profundo conhecimento jurídico, aliado a uma singular didática. Suas obras, conquanto completas e abrangentes, não cansam e sempre são excelentes fontes de consulta; por isso sempre as leio.
    Rogo ao ilustre professor [mestre] e magistrado que continue nos ajudando com seus valiosos conhecimentos. Jamais desista de sua luta, porquanto poucos têm o seu valor moral e intelectual.
    Do advogado e admirador.
    David José Soares Fares

VERDADEIRO "SENHOR DOS ANÉIS"


"Mestre Carreira. Num país de mensalões, aquele que sobreviver em meio a tanta corrupção será considerado um herói, e, sendo vítima dos esquemas mais sórdidos neste País, o senhor pode ficar feliz, porque realmente o senhor é um herói, o verdadeiro 'Senhor dos Anéis' " (Mensagem de Ethan Hunt).



MUITAS VEZES AS PESSOAS QUE SÃO JUSTAS, SÃO JULGADAS INJUSTAMENTE.

"Dr. Carreira. Foi uma honra ter recebido o senhor, um grande mestre, o qual nos trouxe um grande aprendizado, através da sua história de vida, juntamente com a Drª Luislinda Valois, e perceber que, independente de cargos e poderes, também passaram pela nossa injustiça. Num Brasil de corrupção, muitas vezes as pessoas que são justas, são julgadas injustamente. Obrigada por ter nos trazido um grande conhecimento em nível acadêmico. Agradeço a atenção e o carinho que teve por nós. Só fico triste por não ter adquirido o seu livro. Muito obrigada." (Mensagem de Kamilla Barros).

O FURACÃO CHEGA AO EXTERIOR

        Na semana que passou, o blog do Furacão foi acessado, dentre outros países, nos EUA, na Rússia, na Alemanha, na China, na Ilha de Man, em Portugal, na Argentina, no Canadá e na Romênia.
        É a (in)Justiça brasileira transpondo as fronteiras do País, para mostrar ao mundo a fragilidade das instituições nacionais (Polícia Federal, Ministério Público Federal e Supremo Tribunal Federal), quando agridem a honra e a dignidade de um juiz brasileiro.

PALESTRAS SOBRE A "OPERAÇÃO HURRICANE"


  

Quem pretender, no ano de 2013, ouvir a palestra sobre a OPERAÇÃO HURRICANE, montada contra mim pela Polícia Federal (ÉZIO VICENTE DA SILVA), mancomunada com o Ministério Público Federal (ex-procurador-geral da República ANTÔNIO FERNANDO DE SOUZA) e comandada pelo Supremo Tribunal Federal (ex-ministro CEZAR PELUSO) e mostrada com estardalhaço pela REDE GLOBO --, que também se beneficiou de decisões minhas, semelhantes às que tanto condenou --, faça contato pelo e-mail carreira.alvim@yahoo.com.br (não se esqueça do ponto entre o carreira e o alvim) ou pelo Facebook.

QUEM ESQUECE O PASSADO, CONDENA-SE A REPETI-LO

(continuação)


"Como naquela época o Tribunal do Júri não era soberano, como é hoje, apesar de os irmãos Naves terem sido absolvidos em Araguari, acabaram condenados pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que, acolhendo recurso do Ministério Público estadual, lhes impôs a pena de vinte e cinco anos de reclusão, depois reduzida para dezesseis anos, pelos mesmos seis votos a um, invertendo, assim, em favor da acusação, o veredicto absolutório.
Tempos depois, quando um dos irmãos, o Joaquim Naves, já havia falecido, aparece viva a suposta vítima, Benedito Caetano, ficando evidente que tudo não passara de uma “trama” armada pela polícia mineira para condenar os dois irmãos inocentes, que não haviam praticado crime algum; e ainda haviam sido vítimas da suposta vítima, que havia fugido com parte do dinheiro produto da venda de café pertencente aos dois irmãos. 
Na época dos fatos, o delegado civil, que não fazia o jogo da polícia mineira e do Ministério Público local, e não se mostrava disposto a “fabricar” provas contra os acusados, acabou afastado do inquérito pelo governo, substituído pelo tenente militar apelidado “Chico Vieira”, temido como um homem truculento e adepto de torturas, que foi nomeado delegado interino de Araguari somente para presidir esse inquérito; e, nessa condição, fabricou todas as provas que a polícia queria, para mostrar sua eficiência em desvendar o crime (inexistente), dando ao Ministério Público local o que ele precisava, igualmente par aostrar serviço, para denunciar alguém pela prática de um crime que jamais existira."

(continua na próxima semana) 
_______________________________________________________

Trecho do licro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial), encontrável em www.saraiva.com.br, www.estantevirtual.com.br, www.bondfaro.com.br, na Livraria La Selva (nos Aeroportos) e nas boas livrarias do Brasil.

GRAMPOS NO GABINETE DO DES. CARREIRA ALVIM

(continuação)

"Em virtude da inconfidência do então desembargador Castro Aguiar à minha mulher, quando de uma conversa com ele a respeito da disputa para a presidência do tribunal, também ele sabia da escuta, pois, de outro modo, não poderia saber que eu seria “preso e afastado do cargo de desembargador”, pelo que não poderia ser candidato à presidência.
Fiquei sabendo, nessa oportunidade, que no Tribunal havia e continua havendo desembargadores federais da estrita confiança da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, mas isso não é bom para a segurança dos direitos e pela confiança que todos depositam na Justiça.
Quando chamei o desembargador Ricardo Regueira ao meu gabinete para uma conversa, pensando que os grampos eram coisa da chapa alternativa à presidência da Casa, ele achou que eu deveria dar ciência da escuta ao então presidente, Frederico Gueiros, mas não dei; e foi bom que não desse, porque senão a Polícia Federal, o Ministério Público e o ministro Cezar Peluso teriam sabido da minha descoberta muito antes do que souberam, porque o próprio Frederico Gueiros teria se encarregado de lhes repassar a minha descoberta.
Essa minha descoberta prematura da escuta ambiental, segundo consta dos relatórios da Polícia Federal, determinou o abortamento de outras iniciativas em relação a outros desembargadores federais do Tribunal; o que, de outra forma, poderia ter determinado a implosão do Tribunal por inteiro. 
Depois do que passei com o maldito furacão, fico pensando se isso não teria sido melhor para a justiça."
______________________________________________________

Trecho do livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial), encontrável em www.saraiva.com.br; www.estantevirtual.com.br, www.bondfaro.com.br, na Livraria La Selva (nos Aeroportos) e em toda boa livraria do Brasil. 

DEPOIMENTO PRESTADO PELO DESEMBARGADOR CARREIRA ALVIM, NO RIO DE JANEIRO, E QUE O CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA NÃO LEU.



PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO
 (Notas Taquigráficas SAJ/CORTAQ)                       (Audiência, 16/4/2010)
____________________________________________________________
 (continuação)

Vamos para frente, Doutor ABEL, estamos acabando. Cinco horas. Entra um item chamado corrupção. Olha, Vossa Excelência não vai acreditar no que o Chefe do Ministério Público fez. Se ele tiver feito com o pessoal do "Mensalão", isso que ele fez conosco, eu tenho pena daquele pessoal também. 

(Lê)

"Em abril de 2006, foram cumpridos, por ordem do Juiz da 4ª Vara Federal de Niterói, mandados de busca e apreensão de máquinas caça-níqueis instaladas em três casas de bingo: Central Piratininga, Icaraí, pertencentes de fato a Licínio Soares ...” 

Por isso que Vossa Excelência me perguntou se eu conhecia Licínio. Eu nem sabia da existência desse Licínio, de mexer com máquina de bingo, de Niterói.  Aliás, eu nem sabia que nessa região de Niterói havia bingo.  

(Lê)

 “... e Laurentino Freire dos Santos..."

Eu fiquei sabendo depois que esse Laurentino mora no Atlântico Sul, onde e moro. E sabe por quê? Porque a imprensa participou muito dessa montagem. E a imprensa quis mostrar e sugerir que eu estava, vinculado a ele, e mostrou um carro, parece-me, semelhante a um que esteve com o SILVÉRIO  --  que eu vou contar também a história, que não é nada disso aqui --, saindo da garagem do Atlântico Sul. Entendeu? Então, filmaram e eu fiquei sabendo que ele morava lá. Mas também nunca o vi. Se eu encontrar com ele lá, em qualquer lugar, eu não sei de quem se trata.    

Isso é que eu acho engraçado: são pessoas que moram no meu condomínio, que estão em reunião de condomínio, eu presido a sessão de condomínio -- o condomínio geral lá do meu bloco... Aliás, depois do Furacão, eu até cheguei para eles e disse: "Eu não gostaria dê presidir a sessão de condomínio, por causa dessa história de Furacão. A sociedade ainda não teve  conhecimento-da minha verdade, mas eu espero que num  tempo razoável, tenha". Responderam: "Desembargador CARREIRA, ALVIM, o senhor é um morador do nosso prédio e isso aqui, não tem nada a ver".  E me mantiveram lá. O ALUÍSIO [desembargador] mora no meu condomínio, que é desta Casa e está na ativa.  Pergunta se ele já presidiu reunião de condomínio lá. Sou eu quem preside. Quer dizer, eles sempre me prestigiaram em relação a isso...   

Ele [o Laurentino] não poderia se aproximar de mim lá? Ele era de bingo, segundo está aqui, achando que eu era favorável a dar decisão, poderia se aproximar. .. Esse homem, nem sei ele existe. Estou sabendo aqui agora.   

(Lê)
“Posteriormente a essa ,Operação, que visou tão somente a arrecadar algumas máquinas para exame pericial, foi deflagrada a Operação Vega 3, com o objetivo de arrecadar todas as máquinas caça-níqueis em Niterói, no total de novecentas, sendo parte delas pertencente a Betec Comércio, Participações e Empreendimentos, de propriedade de José Renato Ferreira e Belmiro Martins Ferreira Júnior.”
____________________________________________________
                                                                                                           68
             (continua na próxima semana)

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

O FURACÃO NO EXTERIOR

Na semana que passou, o blog http://operacaohurricane.blogspot.com foi acessado, dentre outros países, nos EUA, na Alemanha, na Itália, no Reino Unido, em Portugal, na Rússia, na Argentina e na Espanha. É a (in)Justiça brasileira transpondo suas fronteiras, para mostrar a fragilidade das instituições nacionais (Polícia Federal, Ministério Público Federal e Supremo Tribunal Federal), quando agridem a honra e a dignidade de um juiz brasileiro.

O TRABALHO CIENTÍFICO DO SENHOR TEM PRODUZIDO FRUTOS BRASIL AFORA.

Prezado Prof. Carreira Alvim. Boa noite! 
Aprendi desde cedo que a educação transforma. É por isso que eu gostaria de agradecê-lo pelas valorosas contribuições em minha formação jurídica. Apesar de não ter tido contato direto com o senhor em sala de aula, sua obra escrita foi minha companhia diária nos últimos cinco anos, na Faculdade de Direito. Obtive recente aprovação no VIII Exame de Ordem com 64 questões corretas, de 80, na 1ª Fase, e 9,65 na 2ª Fase de Direito Civil. Assim, não poderia deixar de compartilhar essa conquista e reafirmar que o trabalho científico do senhor, como já sabe, tem produzido frutos Brasil afora. 
Muito obrigado, professor!

UMA PERGUNTA PARA O EX-MINISTRO CEZAR PELUSO RESPONDER

Pergunto ao senhor: e o Ministro ainda teve a coragem de comparecer a esse encontro, sendo o responsável pelo processo? É certo que não se aplica aqui a palavra "coragem" (não é o caso), mas de comportamento incompatível. Triste Brasil!
____________________________________________________________________
NOTA: Postado em "Ex-ministro do STF no Encontro de Buenos Aires, coordenado por Carreira Alvim, a quem mandou prender pouco depois do retorno da Capital portenha (no Facebook).