Pesquisar este blog

sábado, 6 de outubro de 2012

DEPOIMENTO PRESTADO POR CARREIRA ALVIM, NO RIO DE JANEIRO, E QUE O CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA NÃO LEU.


PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO
Notas Taquigráficas SAJ/CORTAQ)                                            Audiência, 16/4/2010.

(continuação)
__________________________________________________________
O Desembargador RICARDO REGUEIRA - dizem eles - já mantinha vínculos com a organização criminosa. Mas isso não diz nada a respeito a mim.                  

Há uma interlocução aqui na nota de rodapé 36, onde falam de encontro do CARREIRA, de 11 de janeiro último..., Doutor ABEL, ele está tão mal informado e equivocado, porque esse encontro é do Fratelli, não tem nada a ver com casa de SILVÉRIO JÚNIOR. Ele pegou uma informação policial, 17, que conta aquela história, dizendo que tirou  aquelas fotos e que Vossa Excelência falou comigo que tem aí. E disse que tem prova (“ininteligível)... demonstra bastante íntimo etc... "

Almoço na casa... Esse último no dia 11 – isso não é verdadeiro. A própria denúncia desmente a si mesma, porque isso não tem nada a ver com jantar na casa de SILVÉRIO JÚNIOR. É história do Fratelli que ele joga aqui, tentando aparentar... Por quê? Como eles queriam mostrar que eu me encontrava com Jaime no restaurante e na casa de Silvério, que éramos íntimos. Eu me encontrei uma vez com ele no restaurante, que deve ter sido o [advogado de B. Horizonte] que levou. Tem que chamar [esse advogado] para depor. (...)

Vamos passar para o 51.
                 
(Lê)

"Os áudios captados do gabinete do CARREIRA ALVIM indicaram que RICARDO REGUEIRA estaria por trás dos pedidos relacionados  com bingos destinados àquele, que culminaram com as decisões favoráveis."  

O que eu posso dizer? Isso é imaginação. Isso não houve. Tanto não houve, que a conversa que está aqui embaixo não tem nenhum sentido. Eu ainda disse aqui, Doutor ABEL: "Eu nem sei quem é, eu não conheço ninguém ligado a bingo." Eu não sabia que Jaime mexia com bingo; eu não sabia quem era esse pessoal que mexia com bingo. Aliás, a única pessoa que, eu conheço que era gerente de uma casa de bingo ... Fiquei pensando: "Por que não pegaram essa pessoa?" Não pegaram.

Quer dizer, as, pessoas que estavam diretamente ligadas com a casa de bingo não foram pegas
nessa operação. E mais: não que eu tenha meus assuntos... Meus assuntos são até assuntos de trabalho. Pode gravar.  

Sabe o que eu fazia, Doutor ABEL?

(...) Mas como eu não supunha que a Polícia Federal fosse fazer pior do que eu dizia... Eu não sabia que ela ia montar contra mim, que ela ia construir frases. Então, quando eu conversava com eles, eu [falava assim:]
___________________________________________________________
 (continua na próxima semana)
NOTA: O relator desse processo administrativo no CNJ foi o ministro Gilson Dipp, que extraiu dele todas as "suposições" possíveis e imagináveis, para me aposentar compulsoriamente. O TEMPO É O SENHOR DA RAZÃO (ditado popular).
Os desembargadores do TRF-2 que deram decisões para o funcionamento de casas de bingo no Rio de Janeiro não fomos eu e nem o Ricardo Regueira, como conto no livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário