Pesquisar este blog

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

DEPOIMENTO DOS INDICIADOS



"Certa manhã, alguém noticiou que seríamos ouvidos pelos delegados federais sobre os fatos constantes do inquérito policial, que servia de suporte à denúncia.
Como tínhamos entrevistas diárias com os advogados, estes tomaram também conhecimento de que todos os encarcerados das celas um a sete começariam a ser ouvidos.
A recomendação da defesa era para que ninguém falasse nada a respeito da operação furacão, exercitando o direito de “ficar calado”.
Não entendi o sentido dessa recomendação, mas como eu era um encarcerado e não um juiz tratei de segui-la à risca.
Confesso que essa recomendação não me agradou muito, pois eu estava louco para falar, fosse para quem fosse, sobre o que havia acontecido comigo a partir da minha prisão, porque a respeito do resto eu nem poderia falar, pois não sabia realmente de nada"

(continua na próxima semana)
_____________________________________________________________
 Trecho do livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial), encontrável em www.saraiva.com.br, em www.bondfaro.com.br, na Livraria La Selva (nos Aeroportos) e em outras livrarias do ramo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário