Pesquisar este blog

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

ARREPENDIMENTO DE UM DELEGADO DA POLÍCIA FEDERAL


"Conheci o delegado federal Carlos Pereira, preso também pela operação furacão, assim que chegamos à Base Aérea do Galeão, quando estava eu conversando com o desembargador Ricardo Requeira, tendo ele se aproximado de nós, se identificou e me disse que era o delegado havia determinado a apreensão das máquinas caça-níqueis em Niterói, cuja devolução eu determinara, sob pena de pesadas multas, e por conta das quais tinha sido vítima do furacão.
Confesso que, naquele momento, não foi para mim um encontro dos mais agradáveis, se bem que anteriormente tivesse tido a vontade de saber quem era o delegado federal de Niterói que mostrava tanta resistência no cumprimento das minhas decisões.
O meu desejo acabou se realizando por obra do acaso, porque até Carlos Pereira se mostrava surpreso com a sua própria prisão, pois se sentia injustiçado, por ter sido ele quem fizera a apreensão das máquinas caça-níqueis, que eu mandara restituir, sendo contraditório que viesse a ser acusado de repassar informações privilegiadas aos donos das máquinas por ele apreendidas."
(continua na próxima semana)
_____________________________________________________
Trecho do livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial), encontrável em www.saraiva.com.br e na Livraria La Selva (nos Aeroportos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário