Pesquisar este blog

quinta-feira, 21 de julho de 2011

"CADÊ A PROVA DE QUE O DESEMBARGADOR RECEBEU DINHEIRO POR VENDA DE SENTENÇA?"


No meu modo de ver, o problema não está em sabermos ou não o conteúdo dos autos para uma manifestação em prol do Desembargador Carreira Alvim, porque jamais saberemos.
Os autos em si estão sob sigilo, ou estou enganada?
O que acho que está em comento é a situação induvidável retratada no excesso de violência que foi empreendido contra ele usando-se uma decisão jurisdicional.
Ou seja, aproveitaram-se da decisão do Ministro Peluso para, por motivos os mais diversos possíveis (vingança, inveja, encostos, bajulações, trampolins, etc etc) para, não apenas subjugar um membro do Poder Judiciário à uma humilhação pública, mas tornar irreversível a decisão do Ministro.
Numa mesma época, foi-se tão longe na execração pública dele e de outros Colegas da Segunda Região, aí no meio eu mesma, que seja lá o que for que contenham os autos de qualquer processo, todos foram previamente condenados, com o objetivo de tornar impossível um reexame do que efetivamente de concreto foi provado contra o magistrado.
P R O V A D O e não apenas fofocado sob pressão.
A violência é C O N T A G I O S A e deixou, infelizmente, muitos filhotes por gerações de magistrados.
Cadê a prova de que o Desembargador recebeu dinheiro por venda de sentença?

Nenhum comentário:

Postar um comentário