Pesquisar este blog

terça-feira, 1 de outubro de 2013

MENSAGEM DO JUIZ CARREIRA ALVIM AO JUIZ JOAQUIM BARBOSA.


Disse o presidente do STF Joaquim Barbosa, na mídia de hoje (1º/10/13), essa pérola:


“Só não aplica a lei aquele juiz que é medroso, é comprometido ou é politicamente engajado em alguma coisa”.


Uai, ministro! Foi assim que apliquei a lei, sem medo, sem comprometimento e sem engajamento, mas, mesmo assim fui preso pelo STF (leia-se ex-ministro CEZAR PELUSO), com base numa “montagem” criminosamente feita contra mim pela Polícia Federal (leia-se ÉLZIO VICENTE DA SILVA), mancomunada com o Ministério Público Federal (leia-se ex-procurador-geral da República ANTÔNIO FERNANDO DE SOUZA).


Eu só mandei liberar algumas máquinas de caça-níqueis, suspeitas de terem peças contrabandeadas (nada relativo a ilegalidade de bingo), porque foram apreendidas pela Polícia Federal, a pedido do Ministério Público, em casas que estavam funcionando com liminares concedidas pela justiça (por outros desembargadores do TRF-2, que não eu), e, portanto, sob o amparo da lei. Nunca dei decisão para “funcionamento de bingo”, e, no entanto, o STF (na sua composição plena) entendeu que dei, quando recebeu contra mim uma denúncia “estapafúrdia” (sem pé nem cabeça). Nunca foi encontrado nenhum dinheiro que eu tivesse recebido para dar as decisões que dei, e, no entanto, estou sendo processado por isso.


Nesse episódio, o STF aceitou que eu tivesse tido uma conversa que não tive; que recebi um dinheiro que não recebi; e que dei decisões para o funcionamento do bingo no Rio de Janeiro, que jamais proferi, porque os que deram tais decisões foram outros desembargadores do TRF-2, que continuam lá, como se nada tivesse acontecido.


Se o STF funciona assim, patologicamente, com base em mentiras e suposições, a quem devo recorrer para mostrar que ele está errado? Só tentando um canal direto com Deus para puni-los; se bem que o juiz também pensa ser um Deus, embora na maioria das vezes seja um diabo.

_______________________________________________________


NOTA: Tenham, sim, medo de dar decisões polêmicas, senhores juízes, porque, do contrário, poderão ser acusados (como fui) pela Polícia Federal, com a cumplicidade do Ministério Público e do STF de integrar uma quadrilha de qualquer coisa.

2 comentários:

  1. Um forte abraço, Dr. Alvim. Pedro Barros (TRF)

    ResponderExcluir
  2. O pior de tudo, ilustre e culto Desembargador, é que ainda existem aqueles que querem ver esse tal de "Barbosão" Presidente da República, como já se não bastasse tanta arrogância e petulância em uma só pessoa. As coisas vão mal no Brasil, muito mal. Aliás, isso havia sido previsto pelo então Presidente Figueiredo. É difícil dizer isso, mas já estou há algum tempo sentindo saudade do regime militar. Pelo menos havia mais respeito! Um forte abraço. Wanderley Teixeira de Medeiros

    ResponderExcluir