Pesquisar este blog

domingo, 2 de dezembro de 2012

QUEM ESQUECE O PASSADO, CONDENA-SE A REPETI-LO.


                   (continua)


“Quem acabou, no final, pagando a conta dessa irresponsabilidade foi o estado de Minas Gerais, que teve que arcar com todas as indenizações devidas à família Naves, mas os verdadeiros responsáveis pela trama, delegado e Ministério Público inexplicavelmente jamais foram punidos.
Eu era ainda adolescente, quando assisti ao filme, e a minha indignação era tal que, se eu tivesse encontrado esse delegado “Chico Vieira” ou o promotor de Justiça de Araguari pela frente, teria feito uma besteira. Aliás, a revolta não foi só minha não, mas de todos os que assistiram ao filme, pois saíram do cinema igualmente indignados.
Naquela época, não conseguia entender como a Justiça, que eu praticamente desconhecia, apesar de o meu pai ser advogado, permitia e concorria para que tais coisas acontecessem; mas, hoje, sendo um desembargador e vítima da própria Justiça, entendo de sobra as suas razões para fazer o que faz contra inocentes.”
_________________________________________________________
                     (continua na próxima semana)       

Trecho do livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial), encontrável em www.saraiva.com.br, www.estantevirtual.com.br, www.bondfararo. com.br e nas livrarias de todo o País.

Nenhum comentário:

Postar um comentário