Pesquisar este blog

domingo, 30 de dezembro de 2012

MENSAGEM DE GLAUCIANE CARVALHO, QUE ME EMOCIONOU EM 2012.



Desembargador Carreira Alvim vítima do Supremo Tribunal Federal

Sabemos que o Supremo Tribunal Federal tem despertado paixões e ódios, principalmente, quando atua de forma irresponsável no julgamento de feitos (sabe-se lá com qual intenção) e sem o critério tecnicista que deve nortear a Suprema Corte do país.
Sabemos, também, que os Ministros não estão acima do bem e do mal e podem sim, cometer falhas nefastas para vida e carreira de pessoas que se dedicaram incansavelmente ao estudo do Direito, bem como, à vida acadêmica em sua plenitude.
Esta semana li o comentário de um dos maiores processualistas deste país, José Eduardo Carreira Alvim, um pesquisador notório e que sempre contribuiu para a produção científica jurídica brasileira, que é (ex)desembargador do Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro (e que muito influenciou minha carreita, aliás, influencia até hoje toda uma geração de profissionais do Direito), conforme segue abaixo:


"Afirma o ministro Gilmar Mendes, na briga com o ex-presidente LULA, que “BRASIL NÃO É A VENEZUELA, ONDE CHÁVEZ PRENDE JUIZ”.
Realmente, não é, mas consegue ser pior, porque, NO BRASIL, quem se encarrega de prender juiz é o próprio Supremo Tribunal Federal, do qual o ministro é um dos seus membros, pois eu, um desembargador do TRF-2, FUI PRESO, ALGEMADO E RECOLHIDO À PRISÃO, por determinação do então vice-presidente e depois presidente do STF, ministro Cezar Peluso, por conta de uma “armação” feita pela Polícia Federal, e bancada pelo chefe do Ministério Público Federal, Antônio Fernando de Souza, na suposição de que havia vendido três decisões para viabilizar o jogo de bingo no Rio de Janeiro; uma deslavada MENTIRA, porque nunca dei tais decisões, tendo apenas autorizado a liberação de máquinas de caç a-níqueis, porque os bingos estavam FUNCIONANDO COM LIMINAR DE OUTROS DESEMBARGADORES DO TRF-2, e que não foram presos. O verdadeiro motivo em me desmoralizar foi para que eu não fosse eleito presidente do TRF-2, por não fazer o jogo dos poderosos.
AFINAL, não sei se a afirmação do ministro Gilmar Mendes é uma questão de falha de memória ou de hipocrisia da justiça". [grifos meus]


Volto, então, aos meus comentários:

Leio em vários blogs e veículos de comunicação que o fascismo está tomando conta do país. Considero até que, agora, temos um novo tipo de fascismo, diferente do que conhecemos nos livros de história. E um desembargador da mais notória capacidade técnica e de moral jamais questionada antes foi vítima, por não fazer parte de um sistema de adulações que se apresenta com um cancro para a sociedade brasileira.
E nós temos que acreditar em tudo o que lemos a respeito da seriedade desta Corte ?
Devemos aceitar fazer parte do sistema ou então estamos jogados ao léu ?
Carreira Alvim foi, é e sempre será um dos maiores processualistas deste País e o respeito que nós, da academia, temos por ele, não será abalado um milímetro que seja, pois sabemos da podridão nefasta existente no "neofascismo" que tomou conta do país e da existência da politicagem dentro do STF.
O verdadeiro país dos "petralhas" perseguindo quem não faz parte do seu sistema odioso, lembra-nos até o Tribunal de Inquisição (só que tupiniquim!).

Nenhum comentário:

Postar um comentário