Pesquisar este blog

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

ENTREVISTA AO "DIÁRIO DIGITAL" DE CAMPO GRANDE-MS


NO OLHO DO FURACÃO

Editora: Neiba Ota
____________________________________________________________________
(continuação)

PERGUNTA: Como foi a sua prisão?

RESPOSTA: Sabia que no primeiro momento que pudessem tentariam me afastar da presidência. A gente percebe isso no jogo do poder, o grupo que está com você e o que está contra. Mas não podia imaginar que se serviriam de uma decisão que repeti de outra. Esta decisão que eles chamaram de suspeita já tinha sido dada por outros. Afastaram a mim, o vice e o candidato a corregedor. Só que isso surgiu efeito pedagógico. Quem foi recusado a vice-presidente acabou presidente. Eu sabia que havia uma armação. Eu tinha organizado um evento em Buenos Aires, sobre os desafios da corrupção. Lá tinha ido o ministro Cezar Peluso, do Supremo, como convidado. Eu não sabia quem mandou colocar grampo no meu gabinete. Vi que o ministro corria de mim. Ele mandou me grampear.
_____________________________________________________________
(continua na próxima semana)

NOTA: Na época dessa entrevista, o processo estava em curso no STF, sob a relatoria do então ministro Cezar Peluso, tendo sido, posteriormente, remetido ao STJ, ainda sem relator, apesar de decorridos mais cinco anos dessa maldita e desastrada operação da Polícia Federal, mancomunada com o Ministério Público Federal e sob a condução do Supremo Tribunal Federal (Cezar Peluso).

Nenhum comentário:

Postar um comentário