Pesquisar este blog

domingo, 12 de agosto de 2012

FURACÃO NA "JUSTIÇA EM FOCO" DA TV JUSTIÇA


PERGUNTA:  Por que o senhor foi preso e o delegado da PF Ézio Vicente, que não sabe nada de processo civil, continua na ativa?

RESPOSTA: Este delegado não agiu sozinho, mas com a cumplicidade do Ministério Público Federal e de membros do próprio TRF-2, porque o desembargador Castro Aguiar (hoje aposentado), que, no dia da eleição, se candidatou à Presidência para disputar o cargo comigo à última hora, havia dito à uma pessoa, que me repassou a afirmação, que eu, Carreira Alvim, não poderia ser candidato porque seria processado e preso pela Polícia Federal. Como poderia ele saber disso, se não tivesse conhecimento de que a operação furacão estava em andamento? O jornalista deveria procurar o ministro Cezar Peluso e  o  ex-procurador-geral da República, aposentado, Antônio Fernando de Souza, e lhes indagar como isso foi possível, se as investigações em que estavam envolvidos estava em "segredo de justiça"? Eu não consigo entender como as "montagens" feitas por um delegado federal, até então desconhecido no País, possa se sobrepor sobre todo o passado na judicatura de alguém, como eu, conhecido de Norte a Sul do País pelas minhas obras, participação nas reformas do CPC e palestrante em todos os níves, inclusive para ministros das mais altas Cortes de Justiça do País, sem que houvesse uma preocupação em saber se o que afirmava esse "delegado" tinha realmente acontecido. Afinal, onde se encontra ele, que, por ter provocado o maldito furacão "teria acabado com a corrupção no País". Não seria o caso de procurar saber onde está, e fazer-lhe algumas perguntas a esse respeito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário