Pesquisar este blog

domingo, 20 de novembro de 2011

CARTA DE UM ADVOGADO AO PRESIDENTE DA OAB-RJ, WADIH DAMOUS,

      "O requerente teve a oportunidade de ler recentemente o livro OPERAÇÃO HURRICANE – Um juiz no olho do furacão, de autoria do Desembargador Federal JOSÉ EDUARDO CARREIRA ALVIM, lançado este ano pela Geração Editorial.
      Nas 378 páginas do livro são narradas inúmeras violações aos direitos e prerrogativas que cercam a função judicante e a cidadania em nosso Estado Democrático de Direito.
      O autor do livro descreve que foi alvo de tratamento incondizente com os direitos humanos e com sua condição de magistrado, em especial no momento de sua prisão e ao longo do período em que permaneceu encarcerado numa cela da Polícia Federal em Brasília.
      Prisão sem exibição do respectivo mandado judicial; pessoas idosa transportadas acorrentadas; incomunicabilidade com familiares; constrangimento reiterado de ser colocado nu para revista e exame em várias ocasiões; recolhimento a prisão insalubre; seletividade dos investigados em detrimento do princípio da obrigatoriedade e da impessoalidade; adulteração, manipulação e divulgação de provas e de escutas sigilosas.
      Estas são algumas das irregularidades listadas ao longo do livro, anexado à presente, e que exigem o posicionamento firme da Casa dos Advogados."

(TRECHO DA CARTA ENDEREÇADA AO PRESIDENTE DA OAB-RJ PELO ADVOGADO CARLOS FERNANDO DOS SANTOS AZEVEDO).

2 comentários:

  1. Embora entenda a revolta dos advogados, quando lêem o livro Operação Hurricane, acho graça ao enviarem carta à OAB, na expectativa de que ela fará alguma coisa contra as irregularidades listadas ao longo do livro. A OAB não faz nada em prol dos advogados, tratados como verdadeiros lixos por ela, porque faria alguma coisa em prol de um desembargador? A propósito, o que tenho lido e relido, nos vários sites jurídicos, que abrem espaços para comentários, é que a sociedade em geral, não somente o povão, odeia juízes, desembargadores, agentes, enfim, o Poder Judiciário. Caem de pau, messssssssssssmo, e acham uma maravilha quando o CNJ pronuncia alguma baboseira contra. Aplaudem, parabenizam, incentivam. Acho que o CNJ veio colocar um pouco de freio na casa, pq, efetivamente, as corregedorias são corporativistas e incompetentes. Mas nem todos os membros desse conselho são dignos de confiança, nem possuem a magnitude necessária para dele fazer parte.

    ResponderExcluir
  2. todos os advogados do Brasil deveriam seguir a linha do Dr. exigindo o tratamento condizente com um Magistrado.

    ResponderExcluir