Pesquisar este blog

sábado, 17 de agosto de 2013

COMO CONFIAR NUM TRIBUNAL QUE NÃO DÁ EXEMPLO?


Se os ministros do STF, Joaquim Barbosa (presidente) e Ricardo Levandowski (membro), não têm serenidade para se entender, como poderemos esperar que nos entendam quando batermos às portas daquela Corte em busca de Justiça?
Ministro que não se dá respeito, não pode exigir respeito dos jurisdicionados.

2 comentários:

  1. Caro Desembargador Carreira Alvim:
    Há muitos anos, como advogado contencioso e militante, venho observando a conduta de determinados magistrados. Desde de que comecei a advogar em 1975, só vejo a coisa piorar. Os juízes vêm fazendo o querem e bem entendem (V. Ex.ª sabe bem disso, tanto que escreveu uma excelente obra a respeito). Vivemos numa ditadura judicial branca, porém, mais bem mais perigosa e perniciosa do que a ditadura militar. Juiz, neste estranho país chamado Brasil, quer receber o tratamento de Vossa Onipotência (exclusivo para Deus), e ninguém faz nada... O todo poderoso MP parece aquela polícia de Hitler, invade escritórios, residências, pede prisões desnecessárias e se julga acima de tudo e de todos. Indaga-se: Alguém já viu o MP lutando contra o péssimo atendimento nos hospitais públicos? É claro que não. E por quê? Porque não dá ibope... Aonde iremos chegar assim, meu nobre professor...?

    ResponderExcluir
  2. Caro Desembargador,
    Embora lamentável, resta inegável o confuso cenário pelo qual atravessa nossa Corte Suprema nos dias de hoje. Temos um ditador, criadores de polêmicas, um completo ignorante jurídico, ficando os bons julgadores perdidos em meio à tamanha balbúrdia. Não fosse o bastante, alguns de nossos Tribunais de Justiça parecem seguir a mesma cartilha. Precisamos, com urgência, de magistrados melhor preparados, além de uma revisão nos critérios do quinto constitucional, verdadeiro celeiro de inimputáveis legais. Parabéns pelo 'post'. Abraço cordial, Samuel.

    ResponderExcluir