Pesquisar este blog

sábado, 11 de maio de 2013

QUANDO A JUSTIÇA SE OMITE E QUANDO METE OS PÉS PELAS MÃOS.

O adolescente que assumiu ter queimado viva a dentista Cinthya Magaly Moutinho, em São Bernardo do Campo (SP), teve sua internação negada pela Justiça em novembro de 2012, segundo o jornal "Folha de S. Paulo". O Tribunal de Justiça informou que os promotores não falariam do caso, pois se trata de segredo de justiça.
O menor teve quatro apreensões só no ano passado, por suspeita de tráfico de drogas e porte de arma. No começo de abril, ele foi detido outra vez, acusado de ameaçar um garoto de 14 anos. No entanto, uma juíza da Vara da Infância e Juventude de Diadema (SP) determinou que o adolescente fosse solto.
_______________________________________________________________
 
NOTA: O que me chamou a atenção nesses fatos é que menores infratores não são apreendidos pela Justiça, antes que cometam crimes, porque contra eles não valem as "suspeitas". Mas, contra um desembargador como eu, um ministro do STF (Cezar Peluso) determna a prisão com base em meras suposições e até "armações" da Polícia Federal.
Outra coisa: no caso desse adolescente, os promotores não falaram sobre o caso por estar em segredo de justiça (o que é o correto), enquanto, no meu caso, apesar de ter o STF determinado também, por cautela, o "segredo de justiça", a rede Globo de Televisão fez o maior carnaval do ano, e continuou fazendo durante toda a semana que se seguiu.
Pergunto-me: Por que será que a Polícia Federal e a mídia não respeitam a Justiça, nem quando esta é representada pelo STF?
MORAL DA HISTÓRIA: "Quem não se dá ao respeito, não é respeitado".

Nenhum comentário:

Postar um comentário