Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de julho de 2012

SOFRIMENTO POR TABELA



(continuação)
____________________________________________________________

"Nas relações de amizade, um furacão como estes constitui um divisor de águas, permitindo separar o joio do trigo, na medida em que afasta os falsos e mantém apenas os verdadeiros amigos.
Quem exerce alguma autoridade neste país fica permanentemente sujeito à aproximação de puxa-saquistas que, se fingindo de amigos, não têm outro propósito senão o de tirar algum proveito da situação.
Quem sofreu, tanto quanto eu, a fúria do furacão foram os servidores do Tribunal que trabalhavam comigo no gabinete, pessoas de bem, competentes e honestas, que produziam independentemente de estar eu ou não presente, com o único propósito de me ajudar a fazer justiça.
Na verdade, eu não tinha servidores no gabinete, mas amigos de verdade, que devem ter sofrido tanto quanto eu, os constrangimentos que vieram do maldito furacão, por saberem que tudo aquilo que a mídia noticiava contra mim não passava de uma torpe “armação” policial para me afastar do Tribunal.
                Outros que sofreram por tabela foram Raimunda de Cassia e sua família, pois ela trabalha comigo há mais de três décadas, os seus vizinhos me conheciam, passando a supor pelas notícias divulgadas pela mídia que eu estava realmente metido com o crime organizado, tendo sido preso por esse motivo."
_____________________________________________________________________
Trecho do livro OPERAÇÃO HURICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO, encontrável em www.saraiva.com.br e em www.bondfaro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário