Pesquisar este blog

domingo, 20 de maio de 2012

CHEGADA DE UMA GUERREIRA (continuação)


"Assim que Maria Helena soube da minha prisão, acionou a Associação dos Juízes Federais de Minas Gerais, e, depois, a Associação dos Juízes Federais do Brasil, para que se posicionassem a respeito da minha prisão, porque o que estava em jogo não era apenas a minha prisão, mas a prisão de um membro da Associação nacional, e, antes disso, um membro atuante do Poder Judiciário. Essa história eu conto num trecho próprio.
No meu caso, a minha filha Luciana, que teve o pai e o marido presos na malfadada operação, foi a ponte de ligação entre eu e a minha família, e comportou-se como uma guerreira, que me surpreendeu a mim próprio.
Nunca imaginei que a minha filha advogada, nas circunstâncias em que fora involuntariamente envolvida numa trama maquiavélica, com o pai e o marido presos, tivesse a garra que teve para suportar os sofrimentos impostos a pessoas que lhe eram extremamente caras.
Ela se tornara mãe há exatos quatro meses, antes da operação furacão, cujo filho, João Silvério ainda mamava no peito, quando se viu obrigada a deixá-lo para ir para Brasília, a fim de dar apoio a mim e ao seu marido, apoio este que só o advogado que é membro da família pode dar.
O meu neto João Silvério tem hoje quatro anos, tal qual meu outro neto João Pedro, tendo a minha neta Maria Luíza cinco aninhos de vida, sendo esse trio o meu suporte, para aguentar o que me restara depois do furacão.
A companhia constante dos meus netos me foi proporcionada, contraditoriamente, pelo maldito furacão, pois, estando afastado do Tribunal, tenho mais tempo para conviver com eles; e chego até a ter pena dos demais desembargadores que se perdem, diuturnamente, nas pilhas de processos, e morrerão um dia sem saber o que é conviver com os netos e ter o aconchego da família.
A garra dos Carreira Alvim se revelou em toda a sua extensão pelas mãos de Luciana, que armada de coragem e destemor, jamais se curvou à opressão da força policial, com medo de “desagradar” a Polícia Federal."
(continua na próxima semana)
_________________________________________________________
Trecho do livro OPERAÇÃO HURRICANE: UM JUIZ NO OLHO DO FURACÃO (Geração Editorial, já na 3ª edição), encontrável para compra em www.saraiva.com.br e em www.bondfaro.com.br

 

Um comentário:

  1. A mentira poderá permanecer por algum tempo mas não pelo tempo todo. Parabéns por sua coragem, seriedade, moral... pois os humilhados serão exaltados e os exaltados humilhados - nunca se esqueça disso.

    ResponderExcluir