Pesquisar este blog

domingo, 25 de março de 2012

A INCOERÊNCIA E HIPOCRISIA DA ORDEM JURÍDICA E SOCIAL BRASILEIRA.

      A ordem jurídica e social brasileira é, vergonhosamente, incoerente e hipócrita.
    Eu, como desembargador federal e ex-vice presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, fui preso e colocado numa cela da Polícia Federal juntamente com outros contraventores, por ordem do ministro Cezar Peluso, então vice-presidente do STF e atual presidente da Corte, sem que tivessem sido respeitadas as prerrogativas constitucionais da magistratura --, que, para esse fim, valeram menos do que uma folha de papel higiênico --, ou que fosse respeitado meu “direito de ir e vir”, que não prevaleceu sobre uma montagem feita contra mim pela Polícia Federal, assessorada pelo Ministério Público Federal, e coadjuvada pelo Supremo Tribunal Federal.
     No entanto, diariamente as pessoas são assaltadas nas vias públicas, no Rio de Janeiro (Leblon, Ipanema, Copacabana), porque os bandidos usam uma moto para cometer o crime, com um dirigindo e o outro armado, na garupa, cometendo assaltos; e, quando se pensa em proibir as “caronas de moto”, sem as quais tais crimes seriam impossíveis, a mídia se assanha na defesa dos caronistas e caroneiros, ao argumento de que essa medida é uma afronta ao “direito de ir e vir” protegido pela Constituição.
      Moral da história: O "direito de ir e vir" dos bandidos vale muito mais do que o "direito de ir e vir" de um juiz brasileiro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário