Pesquisar este blog

domingo, 1 de janeiro de 2012

AS GRANDES QUANTIAS SÓ EXISTIAM NA IMAGINAÇÃO DE ANTÔNIO FERNANDO DE SOUZA E DO MINISTRO CEZAR PELUSO.



"Ao localizar a pequena quantia contida no cofre da minha casa, o delegado de Santa Catarina ligou, na minha frente, pelo celular, para o delegado que comandava a operação no Rio de Janeiro, informando-lhe que, de acordo com as anotações que lhe tinham sido passadas, ele deveria apreender apenas “grandes quantias em dinheiro”, mas que, na minha casa, haviam sido encontrados apenas dois mil e trezentos dólares e cinco mil reais; e se era para apreender. Tendo recebido resposta afirmativa, foram esses os valores igualmente apreendidos, já que as “grandes quantias” só existiam na imaginação de Antônio Fernando de Souza, o procurador-geral da República que havia requerido a busca e apreensão."

(Trecho do livro "Operação Hurricane: Um juiz no olho do furacão", encontrável em www.bondfaro.com. br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário