Pesquisar este blog

domingo, 6 de novembro de 2011

DEPOIMENTO PRESTADO POR CARREIRA ALVIM NO PROCEDIMENTO NO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, MAS QUE ESTE NÃO LEU.

DESEMBARGADOR FEDERAL CARREIRA ALVIM (REQUERIDO): Foi [referindo-se à ida de Cezar Peluso ao encontro de Buenos Aires]. Eu achei até que chegou , viu que eu estava lá, deveria ter voltado e não ficado lá. Porque se ele não sabia que éramos nós que estávamos lá para falar sobre a corrupção... O fato é que ele ficou, e isso não importa.
Quando voltamos, quando aconteceu a Operação Furacão, e os Delegados chegaram lá em casa...Aliás, Doutor Abel, chegaram com pastas, malas e mais malas. Sabe o que foram procurar lá em Casa? Isso me mostrou o Delegado -- está escrito aqui -- grandes quantias, par apreender grandes quantias. 
Eles revistaram a minha casa de cima abaixo, abriram todos os meus livros para ver se havia dinheiro dentro. Revistaram o quarto de minha mulher, meia, calcinha. Revistaram tudo. Sabe o que foi encontrado na minha casa? E, olhem que eu não sabia da Operação Furacão, não. Na minha casa, encontraram dois mil dólares da Tetê e cinco mil reais meus. Sabe porquê? Porque três dias antes, eu havia levado, porque nós íamos embarcar para Paris. Isso foi em abril e maio. Eu ia ficar uma semana só, porque eu dou aulas, não posso ficar mais. Eu pedi ao meu monitor para me substituir. Eu ia com ela a Paris. Tanto que cinco mil, naquela época, davam dois mil dólares também. Então, falei a Tetê: 'Dois mil seus e dois mil...., então vamos lá. Então, íamos a Paris.
E eu perguntei ao Delegado... O Delegado ligou para o Élzio e falou com ele assim. Isso eu escutei porque foi na minha frente. "Aqui está escrito que á para apreender grandes quantias, mas aqui na casa do Desembargador só tinha dois mil dolares, que ele disse que é da mulher dele e cinco mil reais dele". "Ah! é para levar também?" E levou meus dois mil dólares e cinco mil reais. Foi o que pegaram."
(Continua na próxima semana)

Nenhum comentário:

Postar um comentário