Pesquisar este blog

quinta-feira, 7 de julho de 2011

NÃO HÁ DESGRAÇA QUE NÃO ARRASTE CONSIGO ALGUMA VIRTUDE

"AMIGO. NÃO HÁ DESGRAÇA ALGUMA, POR MAIOR QUE SEJA, QUE NÃO ARRASTE, CONSIGO, ALGUMA VIRTUDE, MESMO - JÁ - NO AQUI E AGORA!
SORTE SUA (NOSSA) QUE A HONRA, CUJOS EFLÚVIOS EMERGEM DA DIGNIDADE, É ATRIBUTO PESSOAL E, A CONSCIÊNCIA, TENHO DITO, O MAIOR TRIBUNAL QUE NOS JULGA!
SORTE MINHA, MAIS AINDA, UMA VEZ -- NÃO TENDO PERDIDO O BEM-JURÍDICO MAIOR (A VIDA, MAS QUE EU PENSAVA FOSSE A DIGNIDADE) --  QUE - POR ACASO, ESCAPEI, VIVO, DIANTE DE UMA CILADA MALÉVOLA ENVIDADA, OPORTUNIZANDO A QUE EU POSSA ABEBERAR-ME DE EVENTUAIS RÉSTIAS DE VIRTUDES SOBEJANTES, AINDA QUE EGRESSO DAS CINZAS, COMO O FÊNIX,  NO MUNDO FÍSICO, SOLO A PARTIR DO QUAL FOI-ME PERMITIDO VIVER. SENÃO  - OBVIAMENTE - AS VIRTUDES SERIAM MAIORES (DESCOMUNALMENTE MAIORES), MAS NO MUNDO TRANSCENDENTE (NUM OUTRO MUNDO, NÃO NESTE EM QUE VIVEMOS!) COMO ERAM CONCEBIDAS, POR DOIS MIL ANOS (EM NÚMEROS REDONDOS), DE PLATÃO A HEGEL.
               COM ALUSÃO A SUA PRODUÇÃO LITERÁRIA, ELAS FALAM POR SI MESMAS - VERBA VOLANT, ESCRIPTA MANENT - (AS PALAVRAS VOAM, O ESCRITO PERMANECE), SENDO DE SER LEMBRADO QUE, OS HOMENS PASSAM, AS IDEIAS SÃO TRANSITÓRIAS, MAS AS OBRAS FICAM! PARABÉNS!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário